• PESQUISAR
  • terça-feira, 3 de maio de 2016

    CAMERA A BORDO DE ULTRALEVE REGISTRA MOMENTO ANGUSTIANTE APÓS AERONAVE ENTRAR EM PARAFUSO CHATO

    TER UMA FALHA NO MOTOR É ALGO ASSUSTADOR PARA UM PILOTO, ENTRETANTO, ENTRAR EM STALL (ESTOL) E CONSEQUENTEMENTE INICIAR UM PARAFUSO CHATO, É TUDO QUE UM PILOTO NÃO QUER ENFRENTAR DURANTE O VOO.





    Foi justamente o que aconteceu com o piloto de ultraleves Neil Spooner. Após a perda do motor, Spooner coloca o nariz do ultraleve Tipsy Nipper para cima a fim ganhar altitude (procedimento padrão em caso de falha de motor), ao iniciar uma curva para direita a aeronave entre em parafuso chato, alcançando um total de 26 voltas até a sua recuperação.
    “ERA PARA SER UMA VOLTA NORMAL PARA DIREITA, MAS POR VÁRIAS RAZÕES NÃO INTENCIONAIS, A AERONAVE ENTROU EM PARAFUSO CHATO E ATÉ AQUELE MOMENTO, EU NUNCA TINHA ENTRADO EM PARAFUSO” INFORMOU NEIL SPOONER.
    Ao entrar em parafuso numa altitude de 3500 pés, Spooner girou 26 vezes e perdeu 2800 pés em 43 segundos, recuperando o voo normal a aproximadamente 700 pés do chão. Desorientado, ao fazer o arredondamento o piloto não vê uma cerca de arrame e bate com o trem de pouso, deixando a aeronave de cabeça para baixo.



    O piloto Neil Spooner foi resgatado 20 minutos depois por uma equipe de socorro e não apresentava  ferimentos graves.

    Parafuso Chato: girando em torno de si e mantendo o eixo longitudinal em aproximadamente 90º em relação a trajetória da queda, a aeronave perde eficiência do leme de direção e profundor, entrando em uma queda vertical que muitas vezes é fatal. Para escapar do “parafuso do caixão”, isso se houver altitude, o piloto deve movimentar-se para frente com o intuito de deslocar o centro de gravidade (CG), na tentativa de baixar o nariz da aeronave e iniciar um parafuso normal.

    Curta:

    COMPARTILHE
    Nenhum comentário:
    Write comentários